18 fevereiro 2008

Sociedade de contradições

Saí de casa para um passeio sem destino, descontraído, desinteressado…Acabei por regressar com um reflexão sobre a sociedade que me envolve. Fui aliviado, cheguei preocupado...
…Nesta pequena caminhada achei o adjectivo correcto para descrever a sociedade actual: “contraditória”. Escolho este termo devido a diversos factos:
- Protesta-se contra a poluição ambiental e/ou sonora! Vejo pessoas a projectar beatas de cigarro para o solo deliberadamente e jovens com “phones” num volume assassino para os seus ouvidos.
- Protesta-se contra a economia do país! Olho para as caixas Multibanco, existem filas de pessoas que esperam por levantar dinheiro; reparo no interior das lojas de roupa e dou conta das inúmeras pessoas que adquirem novas peças; caminho e sou obrigado a desviar-me não só das pessoas, mas também dos inúmeros sacos de compras que transportam.
- Protesta-se pela educação! Entro no shopping e, na secção do cinema, observo inúmeras capas negras e adolescentes com mochilas às costas, em horário de aulas, com o bilhete de entrada para a sala de cinema.
- Protesta-se com a desorganização das vias públicas! Concluo que não está na falta de condições, pelo contrário, o incumprimento das regras de condução, a falta de respeito para com os peões, o egocentrismo dos condutores, é a ferida que coloca este corpo doente.
Deste modo, penso que a crise não está tanto no exterior mas sim num défice de conduta no interior da sociedade.

Um comentário:

Um servo da Obra disse...

Vejo que falas bem, mas talvez tenhamos de citar Santo António de Lisboa: "Cessem as palavras; surjam as obras!"